GRUPO FOLCLÓRICO

O Grupo Folclórico Padre Tomáz Borba, fundado em 20 de novembro de 1954, tem como objetivo manter viva as tradições açorianas em terras cariocas. Recebeu este nome em homenagem ao grande compositor açoriano natural de Angra do Heroísmo, que no Conservatório de Música de Lisboa foi um influente e importante personagem.

Atualmente conta com 30 componentes, sendo a maioria descendente de açorianos, alguns descendentes de portugueses continentais, brasileiros natos e uma açoriana natural da ilha Terceira.

O Grupo Folclórico já apresentou – se em todas as casas regionais portuguesas da cidade do Rio de Janeiro, em diversas cidades do interior do Estado, em associações culturais, igrejas, clubes diversos e vários festivais de folclore. Já realizou apresentações nos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Espírito Santo. Em 2012, fez sua mais importante digressão – ao Arquipélago dos Açores – antigo sonho consolidado em duas emocionantes apresentações na Ilha do Pico e na Ilha Terceira. Em 2015 atuou no Uruguai.

O repertório do Grupo Folclórico é constituído de uma importante particularidade: o grupo possui uma marcha de entrada, cuja letra foi escrita pelo poeta Francisco do Canto e Castro e uma marcha de saída. Além das suas marchas, que exaltam o Arquipélago e a Casa dos Açores, a apresentação é formada por modas das ilhas de Santa Maria, São Miguel, Terceira, Pico e Flores. Na parte musical o Grupo ainda apresenta músicas de sua fundação, mantendo assim a tradição das músicas feitas a mais de 50 anos no Arquipélago dos Açores. Hoje possui modas novas para representar melhor todas as ilhas do Arquipélago.

A tocata do rancho é formada apenas por instrumentos de cordas sendo eles: violino, violão, viola de doze cordas, bandolim e a viola da terra (15 cordas).

No início o traje das moças representava a vestimenta típica das ilhas de São Miguel e Terceira. O traje dos rapazes era estilizado e representava a vestimenta dos leiteiros da Ilha Terceira. Com o passar dos anos foi, aos poucos, retratando e modificando seus trajes para tornar ainda mais fiel sua indumentária. Atualmente o Grupo possui trajes das ilhas de Santa Maria, São Miguel, Terceira, Graciosa, São Jorge e Pico.

Em 2015 a Diretoria Artística formou um Grupo infantil que tem cerca de 11 crianças que ensaiam quinzenalmente e já atuaram em duas oportunidades. Esse projeto visa perpetuar e dar a conhecer o folclore açoriano.

Nestes mais de 60 anos de existência o Grupo Folclórico Padre Tomáz Borba busca através da sua dança, seu folclore, sua tocata, seus trajes e sua alegria marcante ser um guardião da memória e uma expressão viva dos açorianos no Rio de Janeiro.

Os ensaios acontecem todas as quartas-feiras a partir das 21h na Casa dos Açores do Rio de Janeiro, coordenados pelos diretores artísticos (ensaiadores) João Leonardo Soares e Sônia Maria Veloso de Andrade.